Mercado das duas rodas tem potencial para quem deseja apostar em uma empreitada de sucesso

 

Texto: Michele Stella

Com mais de 25,6 milhões de motocicletas circulando pelo país, o mercado das duas rodas desponta como excelente opção de investimento para quem deseja deixar a carteira assinada de lado e se tornar dono do próprio negócio. As vendas de motocicletas têm melhorado em ritmo acelerado de acordo com dados da Abraciclo.

O caminho para uma empreitada de sucesso, no entanto, não é tão simples. “Esse mercado tem grande potencial de desenvolvimento, mas precisa passar por transformação em questões como organização, limpeza, visual e relacionamento com o cliente”, alerta o coordenador estadual do setor de reparação automotiva do Sebrae, José Paulo Albanez.

De acordo com ele, o público motociclista está carente por opções de oficina, mas não há mais vez para aquele estereótipo de um local cheio de graxa, desorganizado, com pneus e peças amontoados pelos cantos. “As pessoas rejeitam uma oficina assim”, diz Albanez.

Se o objetivo é investir tempo e dinheiro em uma empreitada no mundo das duas rodas, há aspectos a serem considerados com muita cautela: é preciso se capacitar tecnicamente para atuar na área, ou seja, se faz necessário aprender mecânica de motos; em paralelo, o(a) futuro(a) empresário(a) também terá a necessidade de aprender a lidar com toda a parte administrativa e financeira do negócio, terá que saber gerir. “E, se a ideia é empreender para trabalhar menos e ganhar mais, os planos podem ser desconsiderados porque a realidade é bem o oposto disso”, alerta o coordenador estadual do Sebrae.

O passo a passo do empreendedorismo envolve ter um plano de negócio detalhado, investir em planejamento, pensar em localização, público-alvo, capital de giro,divulgação, atendimento, fornecedores, inovação, entre tantos outros pontos.

“Não basta talento para que a vida da empresa seja saudável financeiramente”, afirma Albanez.

Finanças

De acordo com estudos do Sebrae, para montar uma oficina de 50m² é necessário um investimento em torno de R$ 40 mil com peças e instalações. Além disso, é preciso ter dinheiro para capital de giro, algo aproximado de R$ 25 mil. O faturamento bruto gira em torno de R$ 20 mil por mês, com margem de lucro entre 10% e 12%, em média.

“Um desafio para a maioria das pessoas que investe nessa área é a questão administrativa. Normalmente, são profissionais mais técnicos, que sabem fazer bem, mas esbarram no controle de gestão”, alerta Albanez.

 

Fotos: Elton Oliveira