Elas também têm vez nas salas de aula e no mercado das duas rodas, sim!

Texto: Michele Stella

Mulheres de diferentes idades ‘invadem’ as salas de aula para aprender a montar, desmontar e, principalmente, consertar motocicletas suas e de futuros clientes. Os objetivos são distintos, mas em comum as alunas da Escola Mestre das Motos – Noellen da Silva, 30 anos; Diankarla Damasceno, 55; Mônica Costa, 24; e Samanta de Mattos, 29 – têm a paixão pelo universos das duas rodas.

Noellen e Diankarla, que fazem o curso de mecânica de motos até 300 cilindradas juntas, já viajaram muito pelo Brasil e por outros países pilotando suas motocicletas. “Já rodei nove países de moto e, por gostar de viajar assim, acho importante ter pelo menos uma noção de mecânica para os momentos de necessidade”, diz Noellen, que não vem de uma família de motociclistas, mas se diz fã das duas rodas desde criança.

“Eu comecei a pilotar motos aos 12 anos”, complementa Diankarla. Aos 18, ela teve a primeira motocicleta e, desde então, só utiliza o carro como veículo de transporte quando há muita necessidade. Hoje, aos 55 anos, conhecida como Vovó do Cross, Diankarla acumula prêmios com a prática de enduro entre mulheres. “No Brasil, sou bicampeã no Enduro da Mulher e, em Portugal, fiquei em segundo lugar no Enduro Internacional da Mulher nos anos de 2016 e também 2017”, comemora.

Aprender mecânica, para Diankarla, significa ter autonomia para enfrentar o desafio de consertar sua própria moto durante uma viagem, seja sozinha ou acompanhada.

“Eu sempre acompanhei a manutenção das minhas motos, então já sei me virar um pouco. Mas o objetivo é aprender mais porque, às vezes, dependendo da cidade onde se está, se é Interior de Estado, os mecânicos nem conhecem direito a tecnologia das nossas motos”, explica.

Credibilidade

No caso da aluna Samanta, 29, além de saber mexer com sua própria moto, uma Kansas, ela quer também ter conhecimento para não ser ‘passada para trás’ por qualquer mecânico de motos do mercado. “Eu busquei fazer o curso por isso e está sendo bem fácil aprender. As aulas são de muita prática, então, é só não ter medo e enfrentar”, afirma, contando que já chegou a consertar uma moto de um familiar, embora não pretenda trabalhar na área.

Sonho

No caso de Mônica, aluna e também funcionária da Escola Mestre das Motos, os vários cursos básicos e avançados no segmento de mecânica de motos visam estar preparada para realizar o sonho de ter o negócio próprio. “Quero abrir uma oficina e trabalhar também com pintura personalizada de motos”, conta.

Em 2016, Mônica investiu o valor que recebeu como rescisão de um antigo emprego para cursar mecânica de motos. Gosta tanto da área que aproveitou oportunidade de trabalho na escola. “O conhecimento de mecânica é muito bom para falar dos cursos e explicar tudo certinho aos interessados e futuros alunos”, diz.

Fotos: Elton Oliveira