Administrar o próprio negócio está entre os principais desafios do empreendedorismo no mercado das duas rodas

 

Texto: Michele Stella

Há mais de dez anos como dono de uma oficina de mecânica de motos no Jardim América IV, em Várzea Paulista, Elvis Cléber Campi, de 39 anos, comemora bons resultados e soma experiências para contar.

Ele deixou de lado o segmento de transportes para consertar motos. Começou usando o espaço do quintal de sua casa. Apaixonado por motocicletas, foi tarefa ‘fácil’ se tornar um mecânico e investir em cursos para aprimorar o conhecimento técnico foi algo prazeroso para Elvis.

Difícil mesmo, até hoje de acordo com o mecânico e empresário, é gerir o próprio negócio. “A parte administrativa é o grande desafio. Eu faço tudo sozinho. Tive que aprender a comprar, a encontrar fornecedores, a colocar preço nos serviços, a fazer o controle do dinheiro. É bastante coisa”, avalia, contando ainda que não consegue delegar determinadas tarefas. “Por isso, não tenho funcionários. Estou treinando os filhos para que no futuro eles assumam o negócio.”

Atualmente, a oficina de Elvis, Canaã Motos, está localizada em uma avenida de bastante movimento no bairro onde ele mora – região com expressivo número de habitantes – e num espaço de 140m².

“O mercado de mecânica de motos é muito bom. Eu já trabalhei muito, cheguei a virar madrugadas trabalhando no início da empreitada, mas vale a pena investir nesta área”, considera.

Para os bons resultados obtidos, Elvis destaca pontos como determinação, conhecimento, visão estratégica para estar sempre aprendendo e, principalmente, habilidade para lidar com os clientes. “Eu estou em um bairro. O perfil de público é aquele que realiza o que é necessário mesmo na moto. E só. Respeito isso e sou honesto. Se eu desmonto um motor, eu chamo o cliente para ver o que está sendo feito, por exemplo”, diz Elvis.

Para o mecânico e empresário, conquistar o cliente é fazer com que ele volte a contar com os serviços da Canaã Motos numa próxima necessidade. “Eu preciso dos clientes todos os dias. Não adianta atender uma vez, vender várias peças, até sem necessidade, e depois não ter mais esse cliente em meu estabelecimento”, pontua, completando: “Moto é sinônimo de rapidez, economia, praticidade. Esse mercado só tende a crescer.”

Capacitação

Para o coordenador pedagógico da unidade Jundiaí da Escola Mestre das Motos, Fábio Luís Gastaldo, investir em conhecimento técnico é fundamental para quem deseja ser dono de uma oficina de mecânica de motos. “Mesmo que o objetivo seja colocar funcionários para trabalhar, é essencial que o dono do negócio entenda da parte técnica. Isso faz toda a diferença, bem como estar atualizado com relação às novidades e tecnologias quando se trata da área de motocicletas.”

Fotos: Elton Oliveira