Mais de um milhão de motocicletas foram fabricadas no ano passado de acordo com dados da Abraciclo

Texto: Divulgação

Com mais motos sendo vendidas, setores de qualificação e de reparo são beneficiados

A produção de motocicletas fechou 2018 em alta, seguindo a curva de crescimento registrada durante todo o ano. De acordo com dados da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), de janeiro a dezembro do ano passado foram fabricadas 1.036.846 unidades no Polo Industrial de Manaus – PIM. O volume representa alta de 17,4% em relação ao total de 2017, quando saíram das linhas de produção 882.876 motocicletas.

O resultado do ano, segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, é reflexo da retomada da confiança por parte do consumidor, da recuperação econômica e do aumento da oferta de crédito, além do número significativo de lançamentos de novos modelos pelas fabricantes de motocicletas.

“O volume final ficou bem próximo da nossa projeção revisada, que era de 1.035.000 unidades e crescimento de 17,2%, demonstrando o otimismo da entidade em relação ao setor e a recuperação do cenário econômico no país”, diz Fermanian.

Para 2019, conforme o executivo, o setor projeta a produção de 1.080.000 unidades, o que significará uma alta de 4,2% sobre as 1.036.846 unidades fabricadas em 2018. “Estamos confiantes no aumento dos negócios, mas é necessário aguardar os impactos das medidas que serão implementadas pelo novo governo”, diz.

Alta na produção e vendas de motos é reflexo de um mercado aquecido

Vendas no atacado

As vendas do atacado – das fabricantes para as concessionárias – acompanharam o crescimento da produção, fechando 2018 com uma alta de 17,6% em relação a 2017. De janeiro a dezembro do ano passado, 957.617 unidades foram comercializadas, ante 814.573 unidades de 2017.

Vendas no varejo

Com base nos dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), em 2018 foram emplacadas 940.108 motocicletas, representando uma alta de 10,5% na comparação com o mesmo período de 2017 (851.013 unidades).

Somente em dezembro, quando foram licenciadas 84.063 unidades, o crescimento foi de 8,6% em relação ao mesmo mês de 2017, que teve 77.437 unidades emplacadas. Na comparação com novembro de 2018 (76.792 unidades), o crescimento foi de 9,5%.

A média diária de vendas em dezembro de 2018 chegou a 4.203 unidades, ficando 8,6% superior ao mesmo mês de 2017 (3.872 unidades) e 14,4% acima de mês similar de 2016 (3.674 unidades). Com isso, a média diária de vendas de dezembro passado foi a melhor em relação ao mesmo mês dos últimos dois anos. Na comparação com novembro de 2018 (3.840 unidades), que também contou com 20 dias úteis, a média de vendas diária cresceu 9,5%.

Mundo das duas rodas tem espaço para homens e mulheres, também

Desempenho por categoria

Ao todo, em 2018 foram comercializadas no atacado 484.182 motocicletas da categoria Street, volume 16,6% maior do que o registrado em 2017 (415.225 unidades). A categoria que mais cresceu, no entanto, foi a Motoneta, com alta de 26,6% (142.835 unidades) em relação a 2017 (112.796 unidades). As demais categorias também acompanharam a curva de crescimento com aumentos de 15,7% na Trail (201.145 unidades), 15,3% na Scooter (67.183 unidades) e 16,9% na Naked (22.670 unidades).

A categoria Street manteve, em 2018, a maior participação em relação às demais, representando 50,6% das vendas no atacado, seguida pela Trail com 21% e pela Motoneta, que ampliou sua fatia para 14,9%. Na sequência, ficaram a Scooter (7%) e a Naked (2,4%).